Dicas Parte IV

Com­par­til­he Esse Arti­go!
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
    2
    Shares

É porque quan­do você fiz­er apli­cação e a entre­vista para seu Green Card ou para a cidada­nia, você não dev­erá ter nen­hum empecil­ho ou antecedentes. Gan­he com hon­esti­dade e sem hipocrisia seu dire­ito de ser imi­grante de ver­dade neste país. Questão de méri­to, mas cada um faz o que quer e assume os riscos asso­ci­a­dos ao ten­tar ludib­ri­ar o sis­tema.

Depois não reclame ou diga que não sabia.

Se você pre­tende vir legal­mente para os EUA, pro­cure cidades onde o cus­to de vida é menor, ou seja, escol­ha Las Vegas ao invés de Boston. Col­orado Springs ao invés de Nova York, Salt Lake City ao invés de Los Ange­les, San José ao invés de San Fran­cis­co, etc.

Não seja uma ovel­ha e fique seguin­do a tur­ma de brasileiros que sem­pre vão para os mes­mos lugares!

Se você real­mente quer ser aque­le brasileiro flu­ente na lín­gua ingle­sa e na cul­tura amer­i­cana, você não vai realizar esse obje­ti­vo con­viven­do 90% do seu tem­po com brasileiros e 90% falan­do por­tuguês! 

Qual­quer brasileiro que tem sotaque amer­i­cano moran­do somente um ano aqui, é fres­cu­ra. Demor­am no mín­i­mo uns 10–20 anos de residên­cia e con­vivên­cia com amer­i­canos diari­a­mente para esque­cer palavras ou ter sotaque.  

Se seu inglês não é flu­ente e seu sotaque está muito forte, pode ser porque você veio para cá com mais de 25 anos de idade, ou você pas­sa muito tem­po pen­san­do, escreven­do, con­ver­san­do e inter­agin­do somente com pes­soas que falam por­tuguês! Evite isso para mel­ho­rar!

Não ten­ha receio sobre pre­con­ceitos se você é negro ou tem pele escu­ra. Os amer­i­canos são menos racis­tas que muitos brasileiros. Na ver­dade, as leis con­tra racis­mo aqui são fer­ozes e a maio­r­ia do povo amer­i­cano é vee­mente con­tra pes­soas que apre­sen­tam racis­mo. Todo mun­do aqui sabe que tem gente boa e gente ruim em todas as raças.

Por algum moti­vo, exis­tem brasileiros que, uma vez que obtém mari­do ou mul­her amer­i­cano e se ajeitam no país, desen­volvem uma tendên­cia de menosprezar out­ros brasileiros. Isso não só é desnecessário, mas meio idio­ta, em nos­sa opinião.  

Não se sur­preen­da com pes­soas cor­ren­do atrás do Green Card com americanos(as) e nem olhan­do para out­ros con­ter­râ­neos! Muitos casa­men­tos feitos por inter­esse imi­gratório ou vivem sec­re­ta­mente infe­lizes ou acabam em divór­cio depois de uns anos.  

Alu­gar aparta­men­tos nos EUA na ger­al requer crédi­to, emprego, depósi­to e ver­i­fi­cação de antecedentes crim­i­nais. Quase sem­pre você pode alu­gar pagan­do 6 meses adi­anta­dos e em din­heiro. Você fica respon­sáv­el por conec­tar luz, Inter­net, gás, e às vezes out­ros itens.

Alu­gar quar­to é mais fácil e sug­e­r­i­mos que você seja flexív­el no sécu­lo 21, alugue com mul­her ou com homem, des­de que seja de con­fi­ança. Não espere a situ­ação ide­al se você é pobre.

Aluguel de casa já se tor­na mais com­pli­ca­do e muitas vezes você tem que pagar o primeiro e o últi­mo mês mais um depósi­to nom­i­nal. Alu­gar casa é mel­hor para famílias. Depois divide os quar­tos com out­ros para aju­dar nas despe­sas.  

Na maio­r­ia dos casos, existe a pos­si­bil­i­dade que você vai acabar tra­bal­han­do ou para out­ros brasileiros ou mex­i­canos, depen­den­do do tipo de tra­bal­ho ou onde você reside nos EUA. Lem­bre-se que tra­bal­har para uma empre­sa nos EUA sem per­mis­são da imi­gração, é con­tra os ter­mos do vis­to de tur­ista ou de estu­dante.

Se você tra­bal­har e o cara não te pagar, vai ser difí­cil você recla­mar seus dire­itos sem ter um Green Card ou cidada­nia. Cuida­do com quem te empre­ga para não levar calote! Exis­tem muitas histórias de brasileiros que levaram calote de seus próprios com­pa­tri­o­tas.  

Despachantes cobram uma taxa para a obtenção de um TIN (Tax Iden­ti­fi­ca­tion Num­ber). Siga a lei para seu uso.

E pos­sív­el abrir uma empre­sa usan­do o que se chama de LLC (Lim­it­ed Lia­bil­i­ty Cor­po­ra­tion). Cheque com seu advo­ga­do, online, ou despachante sobre isso. Pode ser feito online medi­ante taxa nom­i­nal. Exis­tem empre­sas online que fazem tudo isso para você.

Sem­pre ten­ha um advogado(a) que fale por­tuguês caso você ten­ha prob­le­mas com a lei ou pre­cise de aju­da para se legalizar no país.

Mul­heres: cuida­do com alguns home­ns amer­i­canos. Como no Brasil, as aparên­cias enganam. Não deixe que seu inter­esse por um Green Card obscureça seu bom sen­so. Nem tudo que bril­ha e ouro e exis­tem cen­te­nas de casos de abu­so físi­co e men­tal entre brasileiras casadas com amer­i­canos.  Cuida­do. Espe­cial­mente se o homem bebe fora do nor­mal, é muito ciu­men­to e inse­guro, ou usa dro­gas. Cai fora! Ou mel­hor, nem entre!

Home­ns: cuida­do com amer­i­canas muito fáceis ou que se ofer­e­cem para um Green Card medi­ante paga­men­to. Isso é fraude! Cuida­do com doenças venéreas nesse pais! Pesquise no Google.

  • Em vários esta­dos casa­men­tos entre o mes­mo sexo são con­sid­er­a­dos matrimônio legal.
  • Mui­ta gente gan­ha din­heiro com Uber e Lyft. E às vezes alugam car­ro para esse propósi­to.
  • Nun­ca use doc­u­men­tos fal­sos de for­ma nen­hu­ma! Espe­cial­mente para obter Driver’s Licens­es.
  • Não fique falan­do alto em por­tuguês! O som da lín­gua pode inco­modar o jan­tar dos out­ros!
  • Amer­i­canos, na ger­al, não estão nem aí com sam­ba, seus sen­ti­men­tos, assun­tos pes­soais, como são as coisas no Brasil, ou sobre sua história de vida. Poupe seu tem­po e o deles. Seja práti­co.
  • A vida social nos EUA é rel­a­ti­va­mente difer­ente do Brasil. Não se sur­preen­da.

Se você for solteiro ou solteira e quer se ajeitar ou se entrosar, apren­da como fun­ciona o sis­tema de con­quista den­tro dessa cul­tura, namoro e jeito dos home­ns e das mul­heres norte-amer­i­canas e lem­bre-se que o fem­i­nis­mo aqui ain­da é forte e a mul­her amer­i­cana toma as ini­cia­ti­vas, ela gos­ta de estar no con­t­role do navio.

Se a mul­her falar não, quer diz­er não. Se ela não for atrás de você, não fique asse­dian­do-a. Nun­ca toque nen­hu­ma mul­her amer­i­cana sem per­mis­são, espe­cial­mente no tra­bal­ho!

Evite faz­er elo­gios sobre cabe­lo, ros­to, bun­da, ou qual­quer parte do cor­po dela. Isso não é nor­mal neste país! Dizem que toda mul­her gos­ta de elo­gio, mas aqui ele geral­mente é mal inter­pre­ta­do.

Se você ini­ciar uma con­ver­sa com uma mul­her amer­i­cana e den­tro de alguns segun­dos ela men­cionar que tem namora­do, ou usar a frase “my boyfriend” ou “my hus­band” você está assu­s­tan­do ela. Saia fora! Ela está edu­cada­mente pedin­do para você não ficar de papo.

Ela se sen­tiu paque­r­a­da e aqui isso não fun­ciona.  Evite namorar ou ten­tar namorar a ex de seu ami­go amer­i­cano.

No seu tra­bal­ho autor­iza­do, foque nas suas tare­fas e seja efi­caz. Faz como os out­ros fazem, mas seja pro­du­ti­vo e sem­pre chegue antes ou na hora do tra­bal­ho e nun­ca chegue tarde sem expli­cação razoáv­el.

Não fique encar­an­do mul­her amer­i­cana com olhar de tara­do! Se ela pas­sar a mão no cabe­lo e mostrar a aliança no dedo, você assus­tou a mul­her. A inten­si­dade das amer­i­canas não está cal­i­bra­da com a das brasileiras.

Muitos home­ns brasileiros já dançaram aqui em ter­mos de acusações de assé­dio por coisas mín­i­mas! Note como os home­ns e as mul­heres agem aqui e copie. Sem­pre diga Thank you e Excuse me.

Envie tex­to cur­tos e obje­tivos.

Car­ro aqui, incluin­do BMW, Mer­cedes, Hon­da, etc. não são sím­bo­los de sta­tus social. Qual­quer pes­soa com cred­i­to decente pode com­prar car­ro legal, seja novo ou usa­do.  Não fique se mostran­do, pois para amer­i­canos isso não vale nada. Te faz pare­cer infan­til ou ado­les­cente. Você pode impres­sion­ar seus ami­gos e ami­gas no Brasil, mas aqui ninguém se impor­ta com seu car­ro, seu Iphone, sua roupa de mar­ca, reló­gio ou seus sap­atos. Aqui isso e con­sid­er­a­do supér­fluo.

Apren­da a lidar com a inve­ja, despeito e inve­josos. Espe­cial­mente se você começar a subir de vida den­tro da comu­nidade brasileira e espana.

Sem­pre ten­ha um cur­rícu­lo bem escrito em inglês.

Não per­ca tem­po com pes­soas que não gostam dos Esta­dos Unidos ou que pen­sam que este país é impe­ri­al­ista, racista e que só gos­ta de guer­ras. Lidar com esse tipo de men­tal­i­dade peque­na não vai te levar a lugar nen­hum na vida. Seja pro­gres­si­vo, foca­do e feliz na sua nova aven­tu­ra na Améri­ca!

Fique den­tro da lei. Aque­les que por uma razão ou out­ra mar­caram bobeira, tiver­am seus son­hos destruí­dos, perder­am tem­po, din­heiro, liber­dade e muito mais. Essa infor­mação não é para te alar­mar, mas são FATOS que você pode ver­i­ficar antes mes­mo de sair do Brasil.  

Mil­hares de brasileiros fazem as coisas cer­tas e tem suces­so moran­do na Améri­ca, mas muitos não pen­sam, care­cem de lóg­i­ca e acabam se fer­ran­do desnec­es­sari­a­mente. Se você tem vis­to de tur­ista, você é tur­ista. Se você tem vis­to de estu­dante você é estu­dante. De tra­bal­ho, você está autor­iza­do a tra­bal­har. O prob­le­ma é que mui­ta gente igno­ra isso e se acos­tu­ma a roti­na de vida aqui.

Fique esperto(a). Se seu vis­to diz 6 meses, então saia no mês 5 e retorne legal­mente. Se você acei­ta tra­bal­ho ile­gal, você corre riscos asso­ci­a­dos a isso. Essa é a real­i­dade de mais de 15 mil­hões de pes­soas moran­do ile­gal­mente no país, e uma grande maio­r­ia são cidadãos mex­i­canos.

Mil­hares de brasileiros entram no país sem estraté­gia nen­hu­ma e con­fun­dem tur­is­mo e estu­dos com imi­gração.

Se você son­ha em morar nos EUA per­ma­nen­te­mente, a primeira coisa que você dev­e­ria faz­er ao chegar, seria mar­car uma con­sul­ta com um advogado(a) de imi­gração com­pe­tente e ver quais são as suas opções de per­manên­cia legal no país e os pas­sos que você deve seguir.

Se você vem para os EUA casa­do e com família, e depois fica sem din­heiro, isso pode oca­sion­ar um transtorno enorme. A maio­r­ia das pes­soas depor­tadas não são pes­soas ruins ou de índole crim­i­nosa!

Seria mel­hor você con­hecer e obe­de­cer às regras da vida aqui, do que aprendê-las “the hard way”, de trás de uma cela de detenção. Na ver­dade, mui­ta gente aprende a viv­er nos EUA e out­ros infe­liz­mente não.

Deus te abençoe e que você con­si­ga tudo que dese­ja na vida, mas por favor, não arrisque ser depor­ta­do e perder tudo. Imag­ine ter que retornar ao Brasil com uma mão na frente e out­ra atrás, por fal­ta de sabedo­ria e de con­hec­i­men­to.  

Muitas coisas podem ser pre­venidas usan­do bom sen­so.

Boa sorte!

 

Sua Opinião?